Conheçam a Ala LGBT do Presídio do Róger na Paraíba

0

O Jornalista Fernando Gabeira esteve na Paraíba no mês passado para acompanhar a implantação da ala LGBT no presídio masculino Flósculo da Nóbrega, mais conhecido por presídio do Róger, nome do bairro onde fica situado em João Pessoa. Na reportagem ele mostra como vivem os presidiários e mostra que a maioria na cela LGBT é de travestis.

Entre os depoimentos surgem denuncias de maus tratos e violências sofridas por vários da ala LGBT, durante o convívio com os outros homens em alas diferentes. E contam sobre o convívio dentro da cela LGBT, abordando a cumplicidade e algumas desavenças rotineiras dos gays com as travestis por causa do próprio preconceito, mas que com o convívio isso acaba.

Ala LGBT presídio Paraíba

“Muitos rapazes tem aqueles preconceitos com a gente, querem exigir várias coisas da gente”, disse  Luana Lucrécia, uma das travestis detentas da ala LGBT. “Por eu ser travesti eu era obrigada a cozinhar para eles, a lavar prato, roupa, coisas que era para eu fazer só para mim.”
A Ala foi criada visando resguardar a integridade fisica e psicológicamente dos LGBT dentro do presídio e é um avanço conquistado pelo movimento LGBT de João Pessoa, em especial o Movimento do Espírito Lilás (MEL). Outro grande avanço foi para que as travestis e transexuais não tenham seus cabelos cortados quando entrem nos presídios.
Segundo o Secretário de Administração Penitenciária Walber Virgolino, era comum as denuncias de maus tratos sexuais contra as travestis que estavam no presídio:
“Eu quando entrei no sistema prisional, recebi informações de que um travesti foi violentado por 20 homens em uma só noite”, disse Walber Virgolino na entrevista que foi ao ar na Globo News.

Cela LGBT presídio do Róger Paraíba
O Jornalista Fernando Gabeira entrou na cela e conviveu por algum tempo com os presidiários que lá estavam, mostrando o que eles usam como espelho e o fogão improvisado utilizado na ala LGBT para fazer o tempero da comida que vem da cozinha do presídio.

Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraíba e Mato Grosso, são os Estados que já possuem alas LGBT em seus presídios, na Bahia também deve ser implantado um pavilhão LGBT nos novos presídios que serão construídos em 2014.

Assista a reportagem completa clicando aqui.

Comentários

Comentários

Compartilhar

Sobre o Autor

Willamys Guthyers

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), assessor de Mídias Sociais em diversas empresas, crítico, político e ativista.

Os comentários estão fechados.

Pin It on Pinterest