Disney e Netflix boicotam lei contra LGBT do estado americano de Geórgia

1

Podemos perceber que os tempos mudaram quando a luta dos movimentos LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais) que era dura e solitária, ganhou um apoio poderoso nos últimos acontecimentos. Atualmente a pauta nos Estados Unidos é um projeto de lei chamado House Bill (HB) 757 que desobriga profissionais da esfera pública a aceitar realizar cerimônias de casamento  de casais do mesmo sexo, baseado em suas religiões. O texto vai bem além, desobrigando também a donos de apartamentos a não alugarem para pessoas LGBT, baseado em sua liberdade religiosa.

A HB 757 foi aprovada com maioria na Câmara dos vereadores e no senado, então foi enviada para ser assinada e sancionada pelo governador do Estado Nathan Deal.  Ao saber dessa lei discriminatória a Marvel e a Disney sugeriram um boicote se a lei for assinada. Após alguns dias outras empresas também sugeriram a retirada de suas produções do estado de Georgia. Isso inclui uma das séries mais assistidas da atualidade, The Walking Dead da rede AMC, que também apoia o boicote.

Além de Disney, Marvel e AMC, empresas como Lionsgate, Viacom, Fox, Starz, Netflix, Warner, CBS, The Winstern, Sony, MGM e várias outras também estão no apoio a esse boicote. A Netflix lançou um comunicado informando que se a lei for assinada irá retirar suas produções e falou que tinha mais alguns projetos para a localidade, mas que seria inviável com essa lei.

 

“Nós recentemente completamos 2 filmes e 1 série em Georgia e planejamos filmar 2 séries nos próximos meses. Porém se alguma legislação apoiando práticas discriminatórias for  assinada pelo estado, nós iremos mudar nossas produções para outro lugar” disse a Netflix em um comunicado.

HB 757  também chamada de “a lei para proteger a liberdade religiosa” daria total apoio a quem se recusasse a realizar cerimônias de casamento LGBT, mesmo que não seja em uma igreja. O estado de Georgia concede por ano 170 milhões de dólares em benefícios fiscais para atrair produções de Hollywood. Isso é muito, mas é quase nada se comparado com o impulso que a televisão e a produção de filmes dá para a economia local, além de gerar emprego e renda.

O governador está em xeque, de um lado líderes religiosos e políticos pedem a aprovação, do outro o movimento LGBT local e as indústrias de entretenimento que beneficiam a região dizem que irão se retirar do estado caso a lei seja assinada. A NFL (National Football League) anunciou que não realizará o Superbowl lá e várias empresas já começaram a deixar o estado, com vergonha desse posicionamento contrário aos direitos humanos.

O Governador já dá sinais que não vai assinar, em suas últimas entrevistas utilizou a Bíblia, em especial o novo testamento, falando que temos que aprender com Deus sobre união e amor ao próximo.


Atualização:

O Governador Nathan Deal utilizou do seu poder e vetou a HB 757, uma vitória para a população LGBT do estado.

Comentários

Comentários

Compartilhar

Sobre o Autor

Nós somos um website especializado em conteúdo voltado para LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais). Com novidades sobre famosos, músicas e notícias em geral.

1 comentário

  1. Gente, vamos corrigir o texto aí. Ninguem vai boicotar A LEI, mas a ideia era boicotar o Estado da Georgia e não produzir mais filmes e séries por lá se a lei fosse aprovada. Mas o governador já afirmou que vai vetar.

Deixe uma resposta

Pin It on Pinterest