A falta de Jornalistas com conhecimento sobre o público LGBT nas TVs brasileiras

0

Não é novidade a aula de desinformação que a TV brasileira vem dando aos telespectadores quando o assunto é diversidade sexual e LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais). As vezes as emissoras de televisão tentam fazer uma reportagem legal sobre o público LGBT visando combater o preconceito e a discriminação, porém, acabam passando informações equivocadas e muitas vezes atrapalham mais do que ajudam.

Muitos profissionais de jornalismo saem formados da universidade e podem falar sobre qualquer assunto, desde que busquem ou tenham certo conhecimento sobre o tema, não adianta colocar alguém que entende de meteorologia para falar de economia, ou alguém que é especialista em religião para falar sobre o código penal. As matérias irão sair ruins e poderão conter erros de informação, que a função de jornalista deve evitar ao máximo.

As emissoras estão com seus jornalistas antigos que acham saber de tudo e que tem conhecimento sobre tudo, mas sabemos que para se renovar sempre é bom colocar novas pessoas. Jornalistas do Brasil inteiro se esforçam muito para conseguir uma vaga em um jornal de uma emissora nacional, quem sabe até a chegar a ser âncora. Mas as emissoras não dão a chance a quem merece.

No vídeo acima exibido pela Rede Record no programa “Hoje em dia” recentemente, vemos o desconhecimento do que é a homossexualidade mostrando como uma “opção sexual” ou “preferência sexual”, essa matéria com certeza foi feita por alguém sem conhecimento algum sobre a homossexualidade, pois, saberia que ela é uma orientação sexual ou identidade sexual. Se a emissora tivesse um jornalista especializado no público LGBT, com certeza esses erros seriam evitados e a matéria seria ótima de ser vista e entendida.

“Talvez, não seja necessário que haja alguém especialista no tema, mas é importante que os jornalistas conheçam mais sobre a diversidade humana, sobre os conceitos de etnia, gênero, orientação sexual e identidade de gênero. Há um déficit na formação dos jornalistas neste sentido.” diz o Jornalista William De Lucca, gay assumido que já fez diversas matérias sobre LGBT.

Queremos mais jornalistas LGBT ou que conheçam a causa dentro dos jornais e dos programas da emissora, durante o desfile das escolas de samba a Rede Globo deu um show de machismo e homofobia, talvez nem quisessem ter feito isso. Foi pura desinformação, falas como “só mulher e bicha entende disso” e “ele não é rei, é rainha” falando sobre um componente de uma das escolas de samba que é homossexual, mas que não é travesti ou transexual.

É importante enfatizar isso, não queremos mais matérias “meia-boca”, que deixem a desejar, precisamos de matérias importantes, de impacto e sem a continuidade de erros, as vezes, vemos matérias falando “homossexualismo”, quando essa palavra deixou de existir desde 1990, quando houve a retirada  pela Organização Mundial de Saúde (OMS) do termo como doença.

Willamys Guthyers

Comentários

Comentários

Compartilhar

Sobre o Autor

Nós somos um website especializado em conteúdo voltado para LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais). Com novidades sobre famosos, músicas e notícias em geral.

Os comentários estão fechados.

Pin It on Pinterest