Perfil Diversidade aborda as diversas sexualidades da USP

0

O canal no Youtube da USP tem uma série de vídeos chamada “Perfil Diversidade” abordando vários personagens do meio LGBT, entre eles estão uma drag queen, duas transexuais, um homem trans e um/uma não binário que estudam na Universidade e que tem poder para abordar o tema, por estarem vivenciando em seu cotidiano os diversos tipos de preconceito da sociedade.

Um dos personagens é a drag queen Rita Von Hunt, que ganhou destaque nacional ao aparecer no ano passado no reality show exibido no Youtube “Academia de Drags” apresentado por Silvetty Montilla. Os personagens escolhidos fogem do habitual do que é ser gay ou lésbica, abordando a transexualidade e o gênero fluído. Para muitos que não entendem da temática é uma excelente aula sobre identidade de gênero e teoria queer.

Abaixo confiram os vídeos:

Rita Von Hunt – A personagem drag queen interpretada por Guilherme, fala sobre o preconceito que os artistas transformistas sofrem dentro e fora do meio LGBT. Abordando a relação com o seu namorado e com a família, além de abordar as inspirações para a personagem. Rita fala sobre a vivência de ser um personagem feminina e o machismo enfrentado por ela advindo da sociedade opressora.

Guilherme – Uma transexual que gosta de ser chamado pelo nome de nascimento, ela retrata como já foi expulsa dos banheiros masculinos pelos seguranças e sua relação com a família evangélicas. Ela aborda o processo de transição, o Bullying e a transfobia que sofre no dia-a-dia, provavelmente o pensamento de Guilherme é o que passa uma pessoa andrógina e o novo termo bastante utilizado no meio LGBT, os não-binários.

Sophia – A transexual comenta as suas questões familiares,  as dificuldades nas vidas de uma trans no mundo heteronormativo. Ela fala sobre como descobriu o que era a transexualidade, mas que já sabia o que era só não sabia o nome para o que sentia. Sophia conta o que passa na espera da fila da cirurgia de redesignação sexual e a relação entre a transexualidade com a prostituição.

Chalu/Oliver – É Gênero fluído, não-binário e agênero, gosta de ser chamado tanto como ele como ela, e procura sempre não delimitar o gênero das pesspas. Chalu conta que também adotou o nome de Oliver por causa do personagem Oliver Queen dos HQs do arqueiro verde, dentre as diversas histórias que ela conta, aborda uma vez que foi no cinema e acabou sendo expulsa por uma garota.

Thomas – Um homem transexual heterossexual que trabalha na área da educação e que junto com a sua companheira assumiu a sua identidade de gênero, ele conta como falou para os seus pais sobre ser um transexual e como a família recebeu essas informações.

Comentários

Comentários

Compartilhar

Sobre o Autor

Nós somos um website especializado em conteúdo voltado para LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais). Com novidades sobre famosos, músicas e notícias em geral.

Deixe uma resposta

Pin It on Pinterest