Tenho medo, mas não deveria – relatos de uma mulher lésbica

0

Até quando?

Eu tenho medo de quando a gente sai na rua, tenho medo porque eu não sei se vamos voltar bem para casa. Tenho medo porque tem uma obra na frente do nosso prédio e mal conseguimos passear com o Chowder (nosso cachorro), porque ouvimos gracinhas e palavras machistas dos operários da obra.

Tenho medo quando alguém faz barulho no corredor do nosso prédio, porque vejo notícias todos os dias sobre mulheres sendo violentadas em suas próprias casas. Tenho medo quando a gente esta na rua à noite, tenho medo porque várias vezes já mexeram com a gente como se isso fosse super normal.

Eu peço a Deus que nada aconteça com a Elis, porque ela vai a pé para o trabalho logo cedo, são cinco minutos de caminhada mas eu tenho medo, e por isso ela me manda uma mensagem todos os dias “já cheguei amor”. O medo não me deixa voltar a dormir até ler essa mensagem.

Tenho medo do taxista que um dia me disse que sabia que eu era namorada dela, tenho medo porque eu nunca vi ele antes e fiquei pensando como ele podia saber de nós, tenho muito mais medo porque ele sabe onde moramos.

Tenho medo de ser violentada e espancada por andar de mãos dadas na rua com a Elis em um domingo a tarde. Afinal, tantas mulheres são agredidas todos os dias por menos que isso. Tenho medo de demonstrar meu amor em público, tenho medo de ser mulher também. E fico me perguntando, isso é certo?

Até quando o certo será abaixar a cabeça para um homem na rua porque ele se acha no direito de mexer com a gente, até quando o certo é um homem não respeitar nem as mulheres que o esperam em casa e nem a gente na rua? Até quando eu preciso ter medo daquele olhar que nos vigia e dos sorrisos maldosos, até quando ser mulher vai ser perigoso?

E até quando a culpa vai ser sempre da mulher?

Nenhum homem sabe o embrulho no estômago que sentimos sempre que somos cercadas por um deles, nenhum homem sabe o que é caminhar a noite sozinha em uma rua deserta e depois de ouvir passos sentir alívio ao perceber que é outra mulher. Porque eles são educados para serem machos viris e pegadores, e a gente? Para sentir medo.

Ana Nascimento, fotógrafa e escreve nas horas vagas, blogueira no Café com ela,
blog pessoal do cotidiano dela e sua namorada.

Comentários

Comentários

Compartilhar

Sobre o Autor

Nós somos um website especializado em conteúdo voltado para LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais). Com novidades sobre famosos, músicas e notícias em geral.

Deixe uma resposta

Pin It on Pinterest