Travesti é agredida por funcionário da Prefeitura de João Pessoa

0

Em uma nota na sua página no Facebook a Associação Paraibana de Travestis e Transexuais (ASTRAPA) repudiou o comportamento da Guarda Municipal de João Pessoa e exigiu que esclarecimentos e providencias fossem tomadas.

Na última quinta-feira, dia 04 de dezembro por volta das 16:00hs, na inauguração da reforma da Casa da pólvora, realizada pela prefeitura municipal de João Pessoa, a cidadã transexual que é filiada a ASTRAPA foi violentada fisicamente e moralmente por um guarda municipal que estava sem identificação. Geovana Laverna foi agredida com tapas no rosto, e socos nos seios, além da agressão física ainda recebeu vários xingamentos, o agressor se evadiu do local em um carro com timbre da Prefeitura de João Pessoa.

Os insultos recebidos por Geovana Laverna são típicos de pessoas homofóbicas e transfóbicas, na ocasião ela foi chamada de “Cabra safado”, “Viado Safado”, pediram para que ela “Tomasse Jeito de Homem” entre tantos outros insultos que ferem a moral da cidadã.

Geovana Laverna é conhecida no movimento LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais) pela sua constante luta pelos direitos das minorias, ela é funcionária pública na função de Agente de Direitos Humanos no Centro de Referência  de Direitos de LGBT e Enfrentamento à Homofobia do Governo do Estado da Paraíba.

Veículo Guarda Municipal João Pessoa

Veículo Guarda Municipal João Pessoa

A Polícia Militar foi acionada e encaminhou Geovana para a Delegacia Especializada em Crimes Homofóbicos, onde a queixa de agressão foi registrada. A apreensão do agressor em flagrante pela polícia militar não aconteceu, pois o mesmo se retirou em um carro da Guarda Municipal.Abaixo confiram o trecho da carta de repúdio:

“A ASTRAPA espera das autoridades responsáveis pela Guarda Municipal da Prefeitura Municipal de João Pessoa, bem como da Coordenadoria Municipal de Promoção da Cidadania LGBT e da Igualdade Racial da PMJP, que tomem as providências cabíveis relativas a apuração, reparação e a punição dos envolvidos nesse ato lastimável de preconceito e discriminação cometido justamente por quem deveria zelar e defender uma sociedade de paz, segura, justa, respeitosa, democrática e não discriminatória para todas e todos os cidadãos.

Reafirmamos, ainda, que atitudes como essa precisam ser enfrentadas com a punição dos culpados e com ações de promoção e defesa da cidadania da população LGBT e de enfrentamento a homo-lesbo-bi-transfobia. E que os Poderes Públicos na Paraíba não podem mais ficar apáticos ao quadro de violência que vitimiza de maneira específica travestis e transexuais, jovens negros e negras e mulheres, nos colocando numa posição alarmante no quadro de violação de direitos e violência no Brasil e no mundo.Informamos ainda que esse ato desprezível contra a agente de direitos humanos GEO LAVERNA, que atua na gestão pública e nos movimentos sociais na defesa dos direitos e pelo fim da violência, acontece justamente quando a Paraíba sedia, de 10 a 13 de dezembro, o XI Encontro de Travestis e Transexuais do Nordeste, promovido pela ASTRAPA e pela Associação Nacional de Travestis e Transexuais – ANTRA, com o apoio do Governo do Estado. Caso não haja uma imediata resposta do Poder Público em relação ao caso a ASTRAPA e a ANTRA com as representantes dos estados nordestinos presentes ao evento farão uma protesto na frente da Guarda Municipal exigindo respostas imediatas.”

A carta foi assinada por Fernanda Bevenutty, atual presidente e fundadora da ASTRAPA, que também é um ícone nacional de luta contra a transfobia no Brasil. Ela também concedeu entrevista para o nosso site, onde falou sobre o caso contra Geovana Laverna.

“Além dos processos juridicos que estão acontecendo, queremos uma retratação da prefeitura municipal de João Pessoa, pois a Guarda Municipal  recebeu formação de como abordar pessoas LGBT pela Coordenadoria Municipal de promoção à Cidadania LGBT e igualdade racial, e deveria defender a população, mas está cometendo atos de agressão transfóbica.” disse Fernanda.

 

Encontro Regional de Travestis e transexuais João Pessoa

Encontro Regional de Travestis e transexuais João Pessoa

A ASTRAPA tem 12 anos de atuação na luta contra a transfobia e em busca do respeito para as travestis e transexuais, a agressão aconteceu próximo ao dia da realização do XI Encontro Regional de Travestis e Transexuais do Nordeste que tem como objetivo a formação política da população de travestis e transexuais com temática como direitos humanos, educação, habitação, segurança e nome social.

O evento é realizado pela Associação das Travestis e Transexuais da Paraíba (ASTRAPA) e Associação Nacional das Travestis e Transexuais (ANTRA) com apoio do Governo do Estado da Paraíba através da Secretaria de Estado da Saúde e da Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana, e acontece entre os dias 10 e 13 de dezembro em João Pessoa, capital da Paraíba.
O Encontro acontecerá no Netuanah Praia Hotel, situado na Av. Cabo branco, 2298 na Praia de Cabo Branco.

Comentários

Comentários

Compartilhar

Sobre o Autor

Willamys Guthyers

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), assessor de Mídias Sociais em diversas empresas, crítico, político e ativista.

Deixe uma resposta

Pin It on Pinterest