Xinghun: O casamento Gay da China

0
Xinghun casameno gay china

É uma manhã de fim de semana. Y , uma mulher lésbica, muda seu traje masculino habitual e coloca roupa de uma mulher feminina para ir visitar os pais de A, um homem homossexual. A visita é para informar aos pais que Y e A estão se casando. Este tipo de casamento é chamado Xinghun , que significa literalmente um casamento de formalidade em chinês.

Ambos Y e A , respectivamente, já haviam escondido uma namorada e um namorado há anos, ao ser constantemente pressionados por seus pais a se casar. No passado, os homens , gays e lésbicas se sentiam obrigados a casar-se devido à pressão social e da necessidade tradicional, enrolando -se em casamentos sem amor e sem sexo. 
O Xinghun é uma espécie solução para o casamento, que está surgindo em cidades desenvolvidas , como Xangai e Pequim. Através da cooperação mútua, homossexuais e lésbicas da China estão compondo famílias “superficialmente” normais com um homem e uma mulher, enquanto , na realidade , o casal continua a ter a sua independência , tanto física quanto moral. A formalidade do casamento é usado apenas para afastar a pressão exterior e poder amar quem realmente amam: na verdade, ele também é chamado de casamento de apoio mútuo. E eles podem até mesmo , através de inseminação artificial ou adoção, ter filhos.
Esse casamento ganha autêntica aceitação por parte da sociedade, os homossexuais chineses encontram no Xinghun um avanço. Para facilitar a busca de um marido ou uma esposa, o grupo QQ, criou uma variedade de plataformas de mensagens instantâneas, dedicadas a encontrar um parceiro falso adequado. Foi através da introdução de um amigo que Y se juntou a um grupo QQ e se conectou com A. Logo depois, eles decidiram visitar os pais de cada um e tornarem-se uma família o mais breve possível.
Muitas vezes, a busca por Xinghun pode ser ainda mais complicada do que encontrar uma conexão convencional. Uma vez que o casal não tem qualquer ligação emocional real, fatores externos são o único padrão para a escolha de seus “cônjuges”. Se o homem é dono de sua própria casa é ainda mais importante em um Xinghun, por exemplo.
Há também um ” código de conduta ” para os casais Xinghun . Geralmente, acompanhar em lugares públicos é o principal dever e responsabilidade de ambas as partes. No entanto, uma vez que o casamento não é de carinho ou parceria sexual eles não são obrigados a apoiar uns aos outros financeiramente, nem prestar cuidados de saúde ou de apoio emocional. Ambas as partes costumam assinar um acordo pré-nupcial.
Os casais Xinghun não tem qualquer obrigação de cuidar uns dos outros que vivem principalmente separados. É claro que se os pais também vivem na mesma cidade, podem ser obrigados a viverem juntos para manter o casamento bem aos olhos da sociedade. Essa convivência é semelhante a uma relação de companheiro de quarto. onde as partes envolvidas compartilham os custos de vida, embora, em geral, os homens tendem a pagar um pouco mais.
O divórcio

Semelhante aos casamentos comuns alguns dos casais Xinghun também acabam se divorciando , outros realmente assinam um acordo pré-nupcial , especificando que eles vão se divorciar depois de alguns anos. Normalmente, eles são os únicos que acreditam que este é o caminho para tornar a sua orientação sexual óbvia para suas famílias e para a sociedade de modo que eles não serão mais sobrecarregados com um casamento heterossexual.
Contudo, Y tem um sonho com A, emigrar para onde eles tenham permissão para casar com quem quiserem. É importante notar que, além da pressão dos pais e abrigando-se dos olhos da sociedade , cada vez mais homossexuais casam pensando em seu próprio futuro. Considerando que os muitos homossexuais podem optar por adotar crianças de um orfanato ou ter um filho através de inseminação artificial a partir de um banco de esperma, a maioria dos homossexuais chineses são mais convencionais e preferem ter seus próprios filhos biológicos. Devido ao rigoroso sistema de registro de residência da China e proteção de crianças nascidas dentro do casamento , o casamento de conveniência se torna ainda mais útil.
Nos grupos QQ Xinghun, a maioria dos homens expressam sua aspiração de ter filhos. Este é também o caso de A. Quanto a Y, ela foi inicialmente relutante, mas finalmente está comprometida. “Eu acho que no final do dia todas as mulheres gostam de ser mãe. Embora eu não sinto fortemente que eu quero um filho agora, mas eu tenho medo de acabar lamentando, então eu desisti de não ter filhos “, disse ela .
Como outros, o casal provavelmente vai usar a inseminação artificial. Quando perguntada como ela vai se sentir tendo um filho com um parceiro por quem ela não sente amor, Y respondeu: “Eu sei que é difícil para uma mulher criar um filho sozinha. Mas vai ser útil para mim na minha velhice . “

Quanto a saber se a criança saberá a realidade de seus pais ou não, a maioria dos casais Xinghun estão hesitantes. Apesar de ver Xinghun como a única maneira de satisfazer as expectativas dos seus próprios pais ao perseguir sua própria felicidade, que não tem certeza que a próxima geração vai pensar.
“Talvez eu vá dizer ao meu filho quando ele ou ela crescer”, finalizou Y .
Facebook A Liga Gay

Compartilhe:

Comentários

Comentários

Compartilhar

Sobre o Autor

Ativista LGBT, Vice presidente do MEL (Movimento do Espírito Lilás - Movimento Gay de João Pessoa) - Formado em Marketing, atua nas áreas de Design Gráfico, Web Design e Assessoria de Marketing, Empreendedor e Cooproprietário dos sites: http://www.aligagay.com e http://www.portalinboox.com

Os comentários estão fechados.

Pin It on Pinterest