Filmes

Documentário conta a história da vida de uma transexual de Uganda

O documentário “The Pearl of África” ou em uma tradução para o português ‘A pérola da África” conta a história de Cléopatra Kumbugu, uma mulher transexual que após ter sua identidade de gênero revelada teve que fugir para outro país e hoje luta pelo reconhecimento de seus direitos em seu país de origem. Cleopatra tem 27 anos e nasceu biologicamente com o sexo masculino, teve que fugir para o Quênia após ter sido exposta e ter seu nome divulgado como homossexual na primeira página do “Red Paper” um dos principais tablóides de Uganda. Ela foi forçada a viver um mês de portas fechadas para que não fosse presa, e perdeu em uma semana seu emprego e a relação com vários membros de sua família.

“Eu Perdi oficialmente o meu trabalho e vários dos membros da minha família me abandonaram temendo pela sua segurança, decidi me mudar para Nairobi, no Quênia. O local me deu não só uma renda, mas também uma sensação de segurança “ disse Cleopatra em entrevista para o documentário.

Uganda é um dos lugares mais homofóbicos e transfóbicos do mundo, o presidente do país, Yoweri Museveni, sancionou em fevereiro desse ano a lei chamada “anti-gay” que prevê pena de 14 anos de prisão para pessoas que mantiverem relações sexuais com parceiros do mesmo sexo e prisão perpétua para reincidentes. A lei surgiu em 2009 e previa a pena de morte para os homossexuais da região, após passar por uma revisão foi sancionada por Yoweri, porém em agosto desse ano a lei foi anulada pelo Tribunal Constitucional do país. Hoje Cléo como é chamada pelos amigos vive com seu namorado no Quênia e resolveu contar a sua história para o mundo, através desse documentário. Ela está prestes a passar por uma cirurgia de redesignação sexual, um sonho tornado realidade, mas também está esperando se tornar a primeira pessoa trans a ser aceita com sua identidade de gênero verdadeira em Uganda. O filme traz o espectador para dentro do cenário LGBT em Uganda, contando uma história de amor próprio e de luta pelos direitos humanos. Mostrando que a transexualidade não é uma psicopatologia, deficiência, inadequação ou uma fase. É uma história íntima de resistência, coragem, aceitação e auto-determinação dito de uma maneira íntima, poética com a esperança de fazer as pessoas mais conscientes dos pontos em comum por trás de nossa humanidade, em vez das peculiaridades de nossas múltiplas identidades. O longa está sendo dirigido por Jonny Von Wallstron e recebeu esse nome por Uganda ter sido chamada de pérola da África por Winston Churchill por sua diversidade nas etnias, gêneros, fauna e flora. Toda semana um capítulo do documentário é disponibilizado no canal do Youtube do projeto. Abaixo confiram os dois primeiros capítulos do longa-metragem que está sendo produzido. Os vídeos estão em inglês, mas podem ter as legendas traduzidas para português nas configurações do youtube.

Comentários

Comentários

Mostrar mais

Willamys Guthyers

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), assessor de Mídias Sociais em diversas empresas, crítico, político e ativista.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: